Notas

Já deitada, enxergo de longe aquelas gotas de uma chuva forte, que banham e escorrem pela minha janela de vidro, quase embaçando-a. Todo este visual, junto dos meus desejos mais íntimos nessas noites quentes, são perversos. Desconto, aguerrida, toda minha esganação sobre aquelas teclas sedutoras.

Não sei aonde estarei até o final destas notas, pois sinto que flutuo entrandopiano em outro plano. Neste momento, o peso do meu corpo e de minhas extremidades se deitam sobre elas. Alterno entre a delicadeza e a força, com suavidade. Me perco, por vezes, no ímpeto de descontar minha frustração neste teclado, me jogando em uma alternância que faz com que eu as aperte em meus dedos de maneira profunda, forte, assim como meu desejo pela carne de quem deposito uma vontade calorosa e com rubor, de descansar.

Estas teclas brancas e negras, persistem refletir monocromáticas em meus olhos, tão fortes e precisas quanto os sentimentos em minha alma. Não posso! Rejeito, mais uma vez, com descortesia, tudo que toquei. Levanto e me olho com crítica, me banhando de um suco ácido pelas notas menos afinadas que tirei por falta de ensaio. Me questiono, incansada. Por que parei ou quando me perdi ? Não, não é possível tantas cobranças.

Quisera eu estudar a própria vida na mesma intensidade das noites em que perdi escrevendo minhas partituras. Componho no anonimato, e desalentada, me pergunto o motivo de não ser capaz de rabiscar em rascunhos, uma música sequer para minha própria vida. Desconheço a trilha que embalará meu caminho. Talvez, “La Muette”, me traga a vida, pois a frustrada que abstida de tocar por intempéries se volta sempre à música, hoje, amarga sobre o arrependimento de não ter-se lançado sobre ela. Suplico pelo dia em que meu pretérito trilhado devido as minhas escolhas tortas, se tornem apenas um esbulho.

Que eu viva apenas nas notas deste mundo melancólico  É, mais uma vez, se esvaiu minha paciência. Volto a deitar nesta cama, de onde nunca deveria ter saído. Respiro ofegante mas pensando com firmeza, mesmo que, de maneira estarrecida. Embora toda esta estultícia tenha me inflamado o corpo, é certo que, tocar para mim, é um bálsamo.

 

Anúncios

Um comentário sobre “Notas

Vai, agora é a sua vez de falar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s