Sauna mista

O que está acontecendo com o nosso típico inverno da serra fluminense? Teresópolis teve 35° em pleno inverno, isto é um absurdo, estão fazendo com que percamos a característica de cidade fria, que Manoel Carlos tanto retrata em suas novelas! Aliás, o Brasil inteiro sofre com o calor exagerado no inverno, tenho quase certeza de que os gaúchos com suas manias de separatismo também quis o frio só para si. Posso dizer com segurança que isso é o universo conspirando para que eu me mude para Porto Alegre. É isso, me mudarei.

Falando sério agora, o Brasil virou uma sauna. Mista, o que é pior. Na verdade, se fosse só o calor seria incômodo, mas não tanto, o que mata a gente é que todo esse calor vem associado à baixa umidade do ar, que juntamente com a poluição do ar, e setembro por ser muito seco e com sol, também é um mês propício às queimadas e tudo isso junto forma quase um coquetel molotov e a gente fica todo intoxicado, cheio de ites: sinusite, rinite, bronquite, conjuntivite e no meu caso, irritite aguda. Não nasci para viver no calor.

Como já disse aqui em outro texto, o calor repele as pessoas, ninguém consegue ficar perto por muito tempo. As pessoas suam e o perfume vence rápido, aliás, no calor as pessoas precisam redobrar o cuidado com o uso de perfume, porque ele tende a ficar insuportável com extrema facilidade. E o ar parado, vento quente, a pressão arterial despenca e a gente morre de sono e preguiça o dia todo. Não dá, calor incomoda a gente, e a gente pensa que talvez uma praia fosse a salvação. Seria, mas eu não sou do tipo que frequenta praias.

Praia é um paraíso inóspito, com muita gente suada, seminua, pessoas vendendo comida, crianças brincando no meio das pessoas estiradas em toalhas ou cadeiras parecendo um bife à milanesa. Isso sem considerar a areia suja, quente e úmida e a água? Água suja, turva, salgada misturada com suor, urina, dejetos e demais secreções corporais, sacos plásticos, restos de comida. Esse mundo aí definitivamente não me atrai. Mas eu gosto de praia sim, quando o sol vai caindo no sono e as pessoas já saíram daquele estado de euforia praiana e a gente pode sentar no quiosque e tomar uma cerveja, conversar e olhar o horizonte, tudo ali de longe.

Não nasci para o calor. A vida só fica melhor quando a gente vive em uma temperatura agradável, sem maquiagem escorrendo, sem marcas de pizza na camisa, sem precisar ficar se abanando e testa brilhando.

Não sei lidar com o calor, quando era criança eu gostava de ficar na piscina. Aliás, só as crianças gostam de verdade do verão, do calor. Eu vivia com o rosto coberto de protetor solar, agora na vida adulta, balzaquiana não dá mais, não consigo ficar no sol, ele também me incomoda. Bom seria poder viver no ar condicionado, mas é uma ideia puramente fantasiosa e equivocada (ar condicionado em excesso faz mal ao pulmão e ao bolso), fico somente na minha vontade de passar o dia pelada deitada no piso mais frio da casa e só sair de lá em junho, que espero sinceramente que tenhamos um inverno normal, com frio, neblina e chuvisco o dia todo.

Enquanto não nos devolvem o bom e velho inverno, vou aqui sonhando sob o ventilador potente com um copo da bebida mais gelada que eu encontrar.

Anúncios

Um comentário sobre “Sauna mista

Vai, agora é a sua vez de falar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s