Vício social-virtual

Quando eu postei este vídeo hoje no facebook, não imaginei a polêmica que causaria:

O vídeo é uma crítica bem criativa sobre a forma como lidamos com as redes sociais, principalmente o facebook que se tornou o novo orkut. As redes sociais atualmente viraram uma extensão da vida das pessoas, elas usam para tudo: se comunicar com amigos, trocar informações, compartilhar ideias, imagens, pensamentos, e principalmente, pra se exibir.

Vivemos uma inversão do público e do privado. Já falei sobre isso aqui. As pessoas parecem ter necessidade de mostrar, ser visto. Sua aprovação social tem mais a ver com as curtidas que sua foto do passeio no fim de semana tem do que as ideias que você tem sobre os problemas reais da sua cidade, seu país.

A timeline (linha do tempo) do facebook virou um livro dos desejos, caderno diário das pessoas: “estou com dor de cabeça”, “tomei banho”, e toda sorte de besteiras inimagináveis. Uma pena. São poucas as pessoas que usam a rede social como forma de protesto, existem exceções (ainda bem) como a Isadora que resolveu mostrar os problemas de sua escola. Parece que as pessoas ainda não conhecem o poder que uma rede social tem, capaz de promover mudanças como a Isadora conseguiu. Pequenos atos que se tornam grandiosos.

O vídeo não fala disso, fala da dependência que as pessoas têm da rede social e da vida atrelada ao convívio online, são pessoas que não conseguem imaginar suas vidas sem estar conectado, vendo, sendo visto e interagindo com o mundo e com gente que não faz mais parte de sua vida, e gente que nunca fez.

Até que ponto o uso de uma rede social é considerado saudável? a análise é subjetiva, mas não podemos deixar de mencionar que alguém que fique constantemente conectado, que necessita saber de tudo o que acontece ao seu redor virtual, já é um dependente por excelência. Mas a forma como você usa a rede social é que diz quem você realmente é.

E se não existisse mais facebook? – se não existisse, as pessoas se sentiriam perdidas por algum tempo, como o vídeo mostra. Não ter a quem se mostrar deixaria as pessoas órfãs, sedentas pela exposição, pela máscara social que todos vestem quando se conectam: todo mundo é feliz, bem resolvido. Todo mundo é bondoso, amante da justiça, protege os animais, acredita em Deus, é fiel e ama a família. As pessoas só ficam tristes, doentes (como por exemplo, ser bipolar, que é a nova moda das redes sociais) e problemáticas se isso lhes render algumas curtidas.

Se não existisse facebook, se no mundo não coubesse mais nenhuma rede social, teríamos sub-pessoas, gente sem graça perdido em sua insignificância real. Online é onde todos são o que gostam de ser, um mundo encantado onde poucos são aquilo que são.

Bem aventurado é aquele a quem Mark Zuckerberg nunca conseguiu seduzir. Sua alma nunca o pertencerá.

Anúncios

2 comentários sobre “Vício social-virtual

  1. eu achei o vídeo sensacional, é uma forma bastante divertida de mostrar como as pessoas são viciadas em facebook. Eu mesma já fui, confesso. Hoje, evito muito de entrar porque sei que ficarei horas ali. Song pop é um inferno! Mark Zuckerberg bem que tentou ficar com minha alma, mas eu reagi antes! hahahaa

    Adorei. Beijo

Vai, agora é a sua vez de falar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s